Modernidade líquida, educação e tecnologia

  Semana passada o Laboratório Hacker participou do evento Educação 360, realizado no Rio de Janeiro pelo jornal O Globo em parceria com outras entidades. A programação contou com palestras de diversos especialistas na área, que falaram sobre inovação, desafios e casos de sucesso em educação. _DSC3811 O Laboratório Hacker participou no segundo dia, apresentando a experiência com os hackathons na Câmara dos Deputados e mostrando os aplicativos desenvolvidos colaborativamente com a sociedade. Falei um pouco sobre nossas ações em educação para a cidadania, frisando o conceito da prof. Carole Pateman, que nos visitou ano passado. Para a autora, criar mecanismos de participação é fundamental para que a cultura cívica de envolvimento com a atuação governamental se dissemine, tornando os cidadãos cada vez mais críticos e aptos a exercer cidadania através dos mecanismos de accountability. A plateia interessou-se pelas oficinas de jogos educativos, que realizamos mês passado em conjunto com o pessoal do Ônibus Hacker, por ocasião do Seminário Recursos Educacionais Abertos, da Comissão de Educação. Também houve bastante interesse na maneira pela qual exploramos os conceitos de cidadania, participação e transparência com as crianças na oficina Pequenos Hackers, Cidadãos do Futuro.   20150413_122649     6hackday segundo dia 2 (1) O feedback mais inusitado que recebi foi de um senhor, professor de escola pública do Estado, que elogiou a oficina com as crianças, ressaltou a importância de trabalhar esses conceitos democráticos com o público infantil, mas me questionou acerca de oficinas especificamente direcionadas para a terceira idade. Ele criticou o que chamou de "tendência dos órgãos públicos de esquecerem os velhinhos em seu planejamento". Voltei com essa ideia na cabeça e já estamos discutindo ações nesse sentido. Se você imaginar atividades legais para esse público entre em contato conosco para organizarmos juntos : ) No final do dia, o sociólogo polonês Zygmunt Bauman, autor de Amor Líquido, nos alertou sobre possíveis influências negativas que a tecnologia pode exercer na vida das pessoas. Para o autor, a modernidade tem apresentado como característica a precarização de habilidades sociais como paciência, tolerância, relacionabilidade, entre outros, levando também a uma grave crise na capacidade das pessoas se concentrarem e dedicarem-se por períodos longos a qualquer atividade. Por outro lado, Bauman reconheceu as vantagens da internet, que diminui distâncias e amplia o acesso às  informações, destacando que o seu uso - direcionado e consciente - pode tornar-se importante aliado para a educação e, consequentemente, para a democracia. Por fim, encerrando o evento, Bauman nos incentivou a investir na educação sem esperar resultados imediatos, citando um provérbio chinês: "'se planejar para um ano, plante arroz! Se planejar para 10 anos, plante árvores! Se planejar para 100 anos, eduque as pessoas!"      

Walternor Brandão

Walternor Brandão

Mestre em Poder Legislativo, é chefe da Seção de Gestão do Portal e-Democracia.

 

0 comentário em “Modernidade líquida, educação e tecnologia

Deixe um comentário: